sábado, 27 de dezembro de 2014

Prá Sonhar...

Certamente depois do meu casamento, nunca mais verei os outros casamentos com os mesmos olhos.
Uma espécie de nostalgia com felicidade. Um lampejo de recordação do meu grande dia. Uma emoção imensa, intensa e sublime.
Quem já casou, sabe o que eu estou falando.


Aqui segue uma música linda, com um clipe mais ainda, tema de abertura do programa "Chuva de arroz" no GNT.

(lágrimas)


Prá Sonhar - Marcelo Jeneci



My Wedding: Praça Pôr-do-Sol


Tinha lugar melhor para fazermos este ensaio incrível?


 
 







My Wedding: os padrinhos mágicos

Não queríamos mil pessoas no altar da igreja e o mantra do casamento sempre foi: poucos e bons.

Sem muitas restrições na vestimenta (o que é sempre um assunto delicado). Mulheres de longo cada uma de uma cor, sem ser estampado (esse detalhe gerou muitas discussões) e homens de terno cinza, de qualquer tom, com a gravata azul Tiffany que dei para eles ficarem uniformizados além da cravínea que colocaram na lapela para a cerimônia.

E, como tudo tinha que acontecer perfeitamente, na reunião com o padre, ele pediu para nomearmos alguém para ler as passagens da Bíblia na cerimônia. Sem dúvida e sem receio algum, elegemos o Junior.

Não disse que tudo acabaria perfeito?



Amor infinito <3


My Wedding: Say yes to the dress

A parte mais difícil para a mulher é a escolha do vestido.
Depois de ter fechado a igreja e o Ruella, a primeira coisa que fui em busca foi o tal.
Marquei em 3 lojas no mesmo dia. 2 delas entrei e não gostei de nada. A vendedora desolada me pergunta "você não vai experimentar nenhum mesmo?". Pensei: se provasse qualquer um vestido cafona daqueles, acho que teria azar pelo resto do casamento. 
Educadamente, mandei um "não, obrigada".

Entrei na A Modista, loja vintage e linda que já conhecia desde o casamento da minha querida irmã.


Já tinha uma referência em mente, seria um misto da gola e mangas de um vestido preto que fotografei em uma revista há muitos anos atrás (antes mesmo de pensar que um dia casaria), com um vestido que amei da princesa Kate, além das costas todas rendadas.

Foram mil referências que peguei, mas estava bem focada. Já sabia o que queria: nada de branco, mas sim offwhite, nada de tomara que caia, sim para rendas e por aí fui construindo o meu sonho.

Depois de saber que a versão noiva do vestido da Kate tinha saído da loja meia hora antes de chegarmos, desanimei. Aparentemente não tinha curtido nenhum deles…
Até que ali estava ele escondido e minha querida amiga Cris o viu no manequim. Não dei muita importância, mas resolvi provar. 

Tem um programa bem tosco sei lá em que canal que chama "Say yes to the dress".
E é isso mesmo que acontece. Quando a gente prova "o" escolhido, a gente sente.

Chorei, pulei, foi uma emoção imensa. Sabia que seria ele. Nunca imaginei que seria tão decidida na minha vida. Não quis provar mais nenhum, desmarquei as outras lojas. Era esse e ponto final.

 

Eu na primeira prova. Feliz.


Detalhe do bordado na parte interna, bem pertinho do coração <3




sábado, 1 de novembro de 2014

To Positano with Love

Amo viajar.
E (óbvio) que não é de hoje.
Adentrar um novo país, uma nova cultura, língua, comida e costumes me fascina.
Meus olhos que já são grandes, ficam ainda maiores sedentos para capturar cada detalhe, cada nuance deste novo mundo.
Secos, não querem piscar para perder um milésimo de segundo daquela luz estranhamente desconhecida.
E, na hora de se despedir, sempre vem um aperto no peito, uma sensação de que nunca mais voltarei. Olho com atenção para gravar à ferro aquela foto em minha memória e não esquecer jamais.

Sim, Positano, você me conquistou. Suas casinhas fascinantes, ruazinhas charmosas e praia (ainda que de pedra), seus limoeiros jogaram seu encantamento em mim.
Derrubei lágrimas de despedida, mas sua fotografia ficará para sempre na minha lembrança.
Quem sabe um dia eu volto?



 


<3